quarta-feira, 4 de maio de 2011

Alguma coisa ou nada do que possa parecer

Fazer um poema bonito
rimar
contracenar
esquecer.

Nenhum arauto ou rei

pouco importa
designações

onde fui rainha
sou plebéia

minha fonte jorra
como a tua...talvez

e aquele chão batido de terra
terra nossa
nossos pés

já não é.

literalmente,


já não é.


Meu cavalo, meu princípe
cavalgar-me ou cavalvar-te?

uma cabra e um carneiro...

Lúcia Gönczy

2 comentários:

  1. Alguma coisa ou nada, mas sempre poeta.

    Muito belo, Lúcia!

    beijo.

    ResponderExcluir
  2. Valeu, querido. beijão pra você, grande poeta!

    ResponderExcluir