quarta-feira, 15 de dezembro de 2010

Vital ( Só por Hoje)
Como do ar...

preciso da voz do silêncio
do múrmurio do vento
dos carinhos da chuva
da volatilidade dos pássaros

preciso confiar na vida
solidificar princípios
afastar precipícios:-
preciso aprender alimentar
meus lobos internos

preciso da constância da felicidade
do hoje e de sobra
preciso não pensar em nada
nem imaginar como seria se fosse
viver o momento que é eterno e amanhã
quem sabe nem existe

preciso aprender a controlar impulsos
primitivos
sorrir com calma quando tudo parece perdido
acordar ao lado de quem amo com urgência

preciso apenas deste dia
único; certo
preciso você por perto
para que tudo
no fim
se concretize


Lúcia Gönczy

Abril/2008

2 comentários:

  1. Parece pouco, mas por vezes é tão difícil de ter, não? Muito belo o poema, Lúcia!

    Beijos!

    ResponderExcluir